Ainda bem que ninguém além de pessoas que eu confio cegamente lerão esse blog. Pq nessa atualização vou me soltar. Vai ser como os emails q eu escrevo pra Marilia, puras confidências e Km de frases e mais frases.

Pouca coisa mudou desde a última atualização. Continuo feliz da vida. O ano de 2006 continua FODA, superando de longe os primeiros 2 meses de 2004/2005. Mas já conto o q me aflinge.

O churrasco do meu aniversário acho que foi a melhor comemoração de aniversário que já fiz. Só não foi perfeita pq a Má não veio :-(. Meu deus, zuei mto, bebi mto, fiz mta coisa 🙂

Bom, vamos às confidências, à parte que interessa. Para isso, usarei uma frase que escrevi na última atualização mas que continua tendo validade: “Estou confusa, voltei a ser confusa. Os acontecimentos recentes me deixaram atordoada. Não sei o que pensar.”.

Vamos lá, vou me abrir. Ciúmes, ansiedade, horas e mais horas de bate papos inúteis no MSN, mais ciúmes e mais ansiedades, indefinições, oscilação: horas em que sorrio sem motivo ou fico triste sem motivo. Medo.
Eu conheço muito bem esses sinais. Conheço melhor ainda o que significam.
É, criançada, tentei evitar, juro que tentei. Me esforçei, não me entreguei. Mas aí vi que já estava tudo perdido.
Tenho só 20 anos mas já me fudi muito mais do que gente de 40. Eu tenho medo de começar tudo de novo.
Mas já começou. Não vou dizer que INFELIZMENTE começou. Não é infelizmente; é muito gostoso se sentir assim, vendo a vida sob essa perspectiva. Tudo é mais alegre, mais feliz. A vida se torna mais intensa.

Porém, continuo agoniada. Não há definição. Não sei exatamente como agir, não sei ser sutil. Só sei ficar quieta ou escancarar tudo, o que não está nos meus planos. O que fiz, até agora, foi deixar “a deus dará”.

Estava na casa da minha prima outro dia e ela estava aconselhando uma amiga q estava se fodendo amorosamente. A amiga falou que tinha medo que o cara q ela pegava sentisse atração pela ex. Minha prima falou uma frase que está batucando aqui na minha cabeça até agora: “se começou a sentir medo… já era, fodeu. Gamou, tarde d+”.

Pois é. Fudeu. Acho que já tá BEM além do FODEU.

Me dá agonia não saber o que se passa com ele. Não há indícios, nem palavras, nem ações, nem nada que indique a mim o que fazer. Enquanto isso, a bola de neve vai tomando proporções maiores. Quando eu der por mim, será tarde.

Sabe qual é o maior problema? Já começou errado. Nas 2 vezes, eu tava bebaça. Mas não foi só culpa minha. Eu estive sóbria por bastante tempo no sábado. Pq só a noite foi acontecer? Pq só quando o meu estado já era drástico?

E aí agora é assim. A melhor parte dos meus dias são na frente do MSN, entre as 22 e 1 e pouco da madrugada, quando converso, praticamente sem interrupções, com ele. Conversas levianas. Música, coisas do gênero. Mas são essas conversas que tornam meu dia seguinte mais leve e agradável.
A tecnologia e o mundo orkut, por outro lado, tornam minhas noites bem menos agradáveis, trazendo a tona a coisa que eu mais odeio no mundo: ciúmes. Como eu odeio ser insegura. Como eu odeio ler scraps de menininhas falando “te amo, meu amor. Saudades. Mil beijos”.
Como eu odeio ser curiosa e ficar fuçando a vida alheia. Como eu odeio orkut, atrasa a minha vida essa desgraça. E mesmo assim, como eu odeio não resistir e ler tudo. E ficar puta, por não saber o que significa aquilo tudo.

(credo, parece parte do filme 10 coisas q eu odeio em vc)

E os dias de espera? A ansiedade do próximo encontro?
Me atormenta pensar nisso. “E se ele não quiser mais?” “E se eu me fuder?”
Ou, por outro lado, o medo de me entregar. Essa insegurança maldita. Medo de me ferrar pela 3ª vez. Cansei. Já sofri muito, não quero mais passar pelo que passei nos últimos 6 anos. Não sei se prefiro o nada absoluto ou essa explosão de sentimentos deliciosos e insuportáveis ao mesmo tempo.

Eu queria saber o que ele está pensando. São apenas fragmentos as peças que possuo para montar esse quebra-cabeça. O problema é que não parece haver distância entre um SIM e um NÃO. Há possibilidade de ambos. De um lado, do MEU lado, quero dizer, existem as pessoas que perguntam, e ele responde: “se não gostasse, não ficava com ela”; há toda a atenção e as muitas horas de papo diárias.
CONTRA mim, há a inexistência completa d qualquer sinal de interesse. E há o maldito orkut. Eu odeio orkut. Eu odeio esse mundo de informações ilimitadas que o orkut oferece: vc entra nos scraps de alguém, vê uma mensagem duvidosa, entra na página da pessoa, fuça o orkut da pessoa q vc nem conhece. O orkut é repugnante. E mais repugnante sou eu, que me rendo à essas coisas e depois fico me remoendo de ódio e ciúmes.

Eu pareço uma menina de 12 anos, que horror.
Mas acho q a gente nunca amadurece no amor. Cada vez que acontece, é totalmente novo. As pessoas são tão diversas, se tratam de uma forma tão diferente!

É tão esquisito voltar a me sentir assim! Os sentimentos são tão intensos… Às vezes dá vontade de chorar, mas não sei se de alegria ou tristeza. Se um dia eu estava vazia de sentimentos, hoje estou transbordando.

E há toda a minha confusão interior também. Um passado nunca definido. O fantasma do passado.

E dúvidas intermináveis. Como mostrar a ele o que sinto sem assustar? Como saber dele o que se passa?

Ai, chega de escrever, tá meio escroto isso aqui. Ainda bem que a pessoa interessada nem lembra da existência desse blog.

Obrigada pela atenção, amigos.

Beijos!

Essa música é perfeita. Por isso, aí vai.
Ela combina com vários aspectos do meu passado/presente/futuro.

Quem de Nós Dois
Ana Carolina

Eu e você
Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber

Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer

Se eu disser que já nem sinto nada
Que a estrada sem você é mais segura
Eu sei você vai rir da minha cara
Eu já conheço o teu sorriso, leio teu olhar
Teu sorriso é só disfarce
Que eu já nem preciso

Sinto dizer
Que amo mesmo,
Tá ruim pra disfarçar

Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos

No vão das coisas que a gente disse
Não cabe mais sermos somente amigos

E quando eu falo que eu já nem quero
A frase fica pelo avesso
Meio na contra-mão
E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada

E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro

Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida

Eu procurei
Qualquer desculpa
Pra não te encarar

Para não dizer
De novo e sempre a mesma coisa
Falar só por falar

Que eu já não tô nem aí pra essa conversa
Que a história de nós dois não me interessa
Se eu tento esconder meias verdades
Você conhece o meu sorriso
Lê no meu olhar
Meu sorriso é só disfarce
Porque eu já nem preciso

Anúncios

Um comentário sobre “

  1. Fer 4*** disse:

    É fia… É tão ruim se sentir assim… Mais %!@$&@#é ficar com um pé atras, como vc está, e não se soltar de uma vez por todas. Pára de raciocinar, Ana!!!!!
    Amor é pra sentir, não pra pensar. Mesmo quando ele é em menor grau.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s