Meu blog tá voltando a ser b.o.zeiro… Mas foda-se, continuarei escrevendo como se fosse só para mim, como sempre o fiz.

Hoje é um novo dia (ou não).

Me estressei muito anteontem, mas já relaxei. E já repensei tudo.

Depois de conversar com os mais diversos tipos de pessoas, pensar bastante e tomar AQUELE sol fortalecedor, tenho convicção de que exagerei, pra variar um pouco.
As mulheres não concordarão: todas acharam que eu tinha, sim, todo o direito de estar furiosa.
Acontece que eu, ao contrário da maioria das mulheres, sou mais razão do que emoção, o que me faz concordar mais frequentemente com o ponto de vista MASCULINO. E, mais uma vez, acatei as palavras de um homem. De fato, mulher faz o maior circo por problemas não tão grandes assim. Envolvi muita gente nisso. Aliás, se tem uma coisa de que me arrependo, é de ter envolvido tanta gente nessa JORNADA. Mas são poucos aqueles que aguentam guardar para si uma situação como essas. E, como eu tenho muitos amigos q eu considero bastante, e, entre eles, há uma diversidade IMENSA de opiniões, devo à isso o meu jeito “contar a todos” de ser.
Ainda acho q foi uma puta mancada. Continuo pensando que ele poderia ter sido um pouco mais pulso firme, ter feito um esforço maior. ERA um dia importante, para esclarecimentos. Não somente para mim, mas para ele também.
Aí aconteceu tudo isso e a tragédia ficou um pouco maior. Exagerei muito na dose. Chorei horrores. Criei uma confusão mil vezes pior do que já estava. Pior para mim, o que me faz, além de estar ainda meio chateada, estar me sentindo culpada. Eu esqueço de pensar nos outros, é foda. Não consigo imaginar o q ele tá achando disso tudo… E ele leu meu blog, minhas confissões mais íntimas, mais profundas… Aí somemos a tragédia:
– Ele já sabia que eu tava apaixonadona, e já sabia q eu tava ansiosa por uma resposta o mais breve possível
– Aí aconteceu tudo isso
– Várias pessoas se envolveram, encheram o saco dele até dizer chega, o pressionaram
– Eu fiz o maior escarcéu
– Ele leu meu blog…
um parênteses: Sério, depois de ver o comentário dele, reli todas as postagens que tinham na página principal. Fiquei chocada com tudo o que eu escrevi e, mais chocada ainda tentando imaginar a reação dele à algumas coisas. Se havia algo que pudesse fuder geral a situação, esse algo era uma leitura repentina do meu blog.
– Ele tentou se explicar
– Eu nem liguei, fui o mais fria que pude, enquanto continuava a chorar horrores.

Eu não tava em condições de ir pra aula. Resolvi ir no show do ex-2hell, agora nomeado TANGO DE RUA. Foi legal, mas eu não parava de pensar.
Pensei
Pensei
Pensei
E sofri.
Pô, fazia tanto tempo que eu não me estressava com assuntos do coração… Eu levava a minha vida sem essas coisas. Sem gamar, sem me apaixonar. E agora tenho um baita problemão nas minhas mãos (mentira. nas mãos dele), tomando conta de boa parte dos meus pensamentos praticamente o dia todo.
Aí eu penso: vale a pena tudo isso? Estou segura do que sinto? Vale a pena topar ser o “step”? Gosto tanto dele assim para me submeter a essa situação?
Uma única resposta surgiu instantaneamente, mas mesmo assim, me esforçei para pensar sob outros aspectos.
Mas já havia me decidido.
Enquanto estou escrevendo minhas angústias aqui, há uma boa possibilidade de uma grande parte dos meus problemas estarem sendo resolvidos (para o bem ou para o mal) razoavelmente perto daqui. Eu espero sinceramente que isto de fato esteja acontecendo.
Nas circuntâncias em que me encontro, prefiro muito mais um NÃO bem direto a continuar nessa dúvida, nessa incerteza, nessa enrolação, nessa angústia, nessa espera interminável.
A partir do resultado dessa noite (posso tomar um pé, continuar no enrola-enrola, ou … =] ), vou repensar mais um pouco minha estratégia, embora já esteja segura de tudo.
Independentemente do que aconteceu ontem e do que está acontecendo agora, eu quero mais do que nunca conversar com ele. Tem muita coisa pendente, meu deus! Não aguento mais viver minha vida no msn. Todas as conversas importantes q tivemos nesse período foram durante as madrugadas no msn. Desde o dia 5 de fevereiro quando, de um jeito definitivamente ESQUISITO, tudo começou, sempre que nos vimos, foi só a parte boa: a pegação, os amassos, beijooo, mto beijooo. Tudo bem que por culpa minha…
A questão agora é se ele continua QUERENDO conversar comigo. Confesso que eu me assustaria com a situação, na posição em que ele está. Eu não parei para raciocinar ontem – certo, isso seria difícil. Não pensei na situação em que eu estava O COLOCANDO. Porra! Antes de tudo, a gente é amigo! Ele tem uma confiança em mim, uma consideração e tal… É foda, olha o q eu aprontei pra cima dele…
Embora ele sempre peça desculpas por ter-me colocado no seu “mundinho”, eu tenho plena convicção de que poderia ter evitado MUITO de tudo que aconteceu, evitando assim, tudo que estou sentindo no momento.
Não sei com que cara vou olhá-lo quando nos vermos novamente. Nessas últimas 2 semanas, TUDO aconteceu. Exceto o mais importante, que pode estar acontecendo AGORINHA.

Só sei que anteontem senti uma raiva que eu não tinha há anos. O que me deixou mais puta foi a falta de consideração.
E se eu não tivesse falado OI no msn? Ele não tinha se pronunciado até o momento. Eu já tinha deixado scrap, que ele não respondeu. Ele sumiu do msn na quinta a noite. Não tinha falado se viria ou não; sequer deu satisfação. Foi só ao meu cumprimento, o OI, que ele falou que não viria, isso lá pelas 2 da tarde, quando eu já estava o esperando.
Eu ODEIO esperar. Odeio mais ainda esperar, angustiada, por uma resposta, um esclarecimento que seja, e nada, absolutamente NADA acontecer.
Foi uma tarde horrível. Tudo como era nos idos de 2002: alguém no msn me consolando, eu me debulhando em lágrimas de raiva, de tristeza. De decepção. Nicks com emoticons que choram. Óculos embassados pelo excesso de lágrimas. Pra ser bem sincera, a última vez q chorei por amor (tirando uma cutucada letal da Thais em janeiro) tinha sido no final de 2002, ainda por causa das tretas Gui e Carol. E nunca mais cheguei a me envolver de verdade.
Deitada na cama, sexta, molhava o travesseiro e soluçava. Ouvia músicas tristíssimas. Curtia a SENHORA FOSSA. O quarto todo escuro e fechado. Solidão, confinamento.
Fazia tanto tempo que eu já tinha até me desacostumado. Sim, eu era acostumada a essas fossas. Cara, como eu era idiota de chorar pelo Gui. Como eu era IMBECIL! O pior de tudo é que eu nem gostava dele de verdade…
Até antes de 5/fev, eu só tinha gostado DE VERDADE de uma certa pessoa. 1 só. O resto foi afinzisses, paixonites, obssessão.
Até que…
Até que eu me apaixonei POR ELE.

Deitada na cama, eu não sabia o que fazer. Meu mundo tinha virado de ponta cabeça, eu estava novamente cega pela paixão.
Aí escrevi aquele ESQUEMINHA da semana, que está postado abaixo. Mas já repensei o que escrevi no final. Não quero que termine, muito menos DESTA maneira. Não pode ficar assim.

Sábado eu pensei bastante. Agora a pouco fiz uma coisa que não sei se deveria ter feito. Li bilhetes de sala de aula do 2º/3º colegial. Eu gostava dele mais do que lembrava…
Nisso, me veio a luz: de fato, eu não podia ter me envolvido tanto. Eu já tinha um histórico a respeito dele. Para tudo voltar, seria um pulo. Não foi um pulo, só que foi mais intenso.
Já existia uma história por trás disso tudo. É por isso q tô tão fudida da vida.

Agora vou ver o q fazer… Quero mais do que nunca conversar com ele. Cheguei a mandar uma mensagem de texto a tarde pra ele, pedindo uma conversa amanhã, domingo. Mas não houve resposta. O pq eu não sei.
Agora é esperar.
Já tô a tanto tempo esperando tanta coisa que nem ligo mais…
Mentira, ligo sim, e muito.
E me dói, de verdade.
Mas, fazer o que?

Pra finalizar, uma música bem FOSSA, que tem sido uma trilha sonora legalzinha. O refrão, q vou traduzir, tem sido o meu nick de msn direto.
E, olha como as coisas são: o Gordo colocou pra tocar, no carro ontem voltando do show, um cd q tinha essa música… Me deu um misto de saudade dele, de tristeza e decepção. =(

Drive
Incubus

Sometimes, I feel the fear of uncertainty stinging clear.
And I can”t help but ask myself how much I”ll let the fear
take the wheel and steer.
It”s driven me before,
and it seems to have a vague,
haunting mass appeal.
But lately I”m beginning to find that I
should be the one behind the wheel.

Chorus
Whatever tomorrow brings I”ll be there
NÃO IMPORTA O QUE O AMANHÃ TRAGA, EU ESTAREI LÁ
with open arms and open eyes, yeah.
COM BRAÇOS E OLHOS ABERTOS
Whatever tomorrow brings I”ll be there,
NÃO IMPORTA O QUE O AMANHÃ TRAGA, EU ESTAREI LÁ
I”ll be there.
EU ESTAREI LÁ…

So if I decide to waiver my chance to be one of the hive
will I choose water over wine
and hold my own and drive? oh oh oh oooh.
It”s driven me before
and it seems to be the way
that everyone else gets around.
But lately I”m beginning to find that
when I drive myself my light is found.

Chorus

Would you choose water over wine….
hold the wheel and drive.

Chorus

A VIDA ME ENSINOU A LUTAR PELO QUE É MEU

meu lema de agora em diante… CBJR sux, mas a idéia é válida.

Anúncios

Um comentário sobre “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s