Quem é você no trabalho?

O meu eu divide-se em dois: o eu pirado e o eu do trabalho. Acho que é normal as pessoas agirem meio diferente em ambientes profissionais, mas, como em toda a minha vida, nisso eu também sou radical. Se um amigo trabalhasse comigo, desacreditaria que eu sou eu, se é que vocês me entendem.

Exemplo: tem um conhecido da namorada de um primo que trabalha comigo. Comentei com a tal namorada, que acabou falando com o cara dias depois. O cara disse a ela que eu era super quieta, na minha. Minha prima, acostumada com a louca, boca suja e cheia de histórias bizarras pra contar e opiniões sobre tudo e todos que eu sou normalmente, desacreditou que se tratava da mesma pessoa.

E sempre foi assim.

Não que eu já tenha trabalhado muito. Foram 3 lugares até hoje. Mas era sempre a mesma coisa: eu suuuuper quieta. Super individualista, almoçando sozinha sempre, de pouca conversa, não vai a happy hour… Eu tenho uma imagem a zelar, sabe.  E sempre tenho uma impressão de q as pessoas q trabalham comigo não tem nada a ver comigo. Além disso, se a Ana bêbada e que adora contar detalhes sórdidos de sua vida existisse no trabalho… Bom, eu não estaria aqui.

Mas nos dois outros trabalhos que eu tive, assim que soube que ia sair, fui me soltando. Foi assim na Riot: durante 7 meses tinha gente que nem sabia que eu existia. E não as culpo, já que eu era uma alheia completa. Quando soube que meus dias estavam contados… Bom. TUDO mudou. E olha como a vida é: me apaixonei loucamente por tudo mundo lá. Pessoas legais pra caralho. Ótimas companhias de bar e papo e fofoca. E elas conheceram a bêbada tagarela que sou. Mas aí terminou. 😦
Na campanha eleitoral, em seguida, a mesma coisa: individualismo, silêncio, passividade. No bar final… Bom, foi um caos. U-M C-A-O-S. Terminou com o cobrador do ônibus me acordando no ponto final. Só isso tenho a declarar.

Tem só 3 meses que estou nesse trabalho atual. Até pouco tempo eu pouco me importava com pessoal daqui. Só que rolou uma mudança de lugares. Não que o povo seja animadão, mas melhorou, viu. Pelo menos rolam uns comentários durante o dia. E teve a festa de aniversário de 2 anos da empresa semana passada. Mas, ai. COMO sinto falta do pessoal da Riot. Povo mais animado no hay.

E vocês, representam um papel no trabalho, diferente do que costumam desempenhar “na vida real”?

Anúncios

16 comentários sobre “Quem é você no trabalho?

  1. Minha sorte é ser tímida e quieta na vida real tb, pq não sei separar muito bem não…

    Ai quando a menina tímida e quieta começa a se soltar, mostrar vídeos dançando Kate Bush, fotos à la Richtoffen, funks bizarros e afins, ai fudeu… hahaha

  2. Obviamente 🙂
    Não que eu tenha trabalhado em muitos lugares (esse é o segundo), mas já rolou um feeling desses, mas era o contrário. Eu ia trabalhar e lá parecia uma grande festa, bem diferente da minha vida externa. Conheci pessoas diferentes (bem diferentes) e maravilhosas, lá eu era outra – conheceram meu lado bebada e era melhor ainda.

    No emprego atual (que já foi simultâneo ao outro) eu era bem mais feliz quando trabalhava à tarde. Rolava um sentimento parecido com o citado acima. Intimidade maior, conversas infinitas, risadas infinitas. Agora que mudei de turno virei um Zé Ninguém, e prefiro assim. Até organizada eu aprendi a ser (um fato nem tão verídico na minha vida fora daqui), de implicância.

    Ou seja, antes sim… agora não. Ou não.

  3. Eu tenho esses probleminhas que se repetem nos onze lugares onde já trabalhei. O pior é que não tomo café e nem bebo então não da nem pra fazer uma social, paciência. Mas por incrível que pareça ainda assim as pessoas até gostam de mim…

    • anamyself disse:

      Ah é, esqueci esse porém importantíssimo, Alê:
      também não tomo café.
      E como os 5 minutos do café e o almoço são os principais momentos de socializar no trabalho…

  4. Ellen disse:

    Eu fico tímida nos primeiros dois meses, no máximo, e, à medida que vou pegando intimidade com o pessoal e percebo com quem dá pra brincar, eu me soltou e vira a “Ellen de verdade”: tímida e extrovertida ao mesmo tempo, mas muito profissional. Pra mim é muuuuito difícil trabalhar em silêncio total (seja meu, seja das pessoas ao redor). Preciso de movimento, nem que não estejam falando comigo. Tenho a impressão de me verem como uma pessoa simpática e neutra, o que é ainda mais importante. No trabalho atual me dou bem com todo mundo, sem exceção. No anterior (só tive dois trabalhos “oficiais” na vida) demorei um pouco mais para me soltar pq la o clima era pesadão e tb pq era o meu first job.

    Bjão Ana!

  5. Sabe q eu nunca parei pra pensar nisso?

    Sou uma pessoa extrovertida, falante, gosto de conversar…e sempre fui assim no trabalho tb. De um tempo pra cá, no entanto, fiquei estranha: parei de conversar durante o expediente. Me dá preguiça sabe do que? Tipo assim: gente do trabalho a gente vê TO-DO-SAN-TO-DIA. Daí hj eu comento solto ‘ah, briguei c/Namorado…’. A pessoa quer saber pq, como, por q motivo, se foi feio, blablabla…e, o pior, no outro dia pergunta como está a situação. Pode ser que seja mero interesse, mas eu acho esse tipo de investigação um porre, sabe? Nao gosto do povo sabendo tudo da minha vida, incomoda horrores…já por isso faço questão de resguardar o blog do povo do trabalho ainda mais. Prefiro minha porta fechada, sou antissocial, tenho manias de querer ficar sozinha às vezes…chego a cansar de almoçar com o mesmo pessoal todo dia.

    Neste exato momento, está todo mundo rindo horrores na recepção e, eu aqui, no twitter, nos blogs, e ouvindo música no mp4. De longe, sou a melhor companhia que existe pra mim mesma. Sérião.

    Sobretudo, algo sem explicação: sou muuuito mais educada e solicita com as pessoas do trabalho do que em qualquer outro lugar, em casa, com amigos, do que era na faculdade..fico por entender. Sou e, me sinto bem. Acho que gasto toda minha cota de paciência aqui e, qdo saio, estresso geral, ahuahuahuha…

    Acontece!
    ;*

  6. Eu acho que sou eu mesma em todos os lugares… mas uma coisa que me incomoda é que no trabalho atual, as pessoas TODAS automaticamente me chamam de “Ana”. E dentro de mim eu sou “Bel”. No máximo “Anabel”. Mas “Ana”… No way. Só que não tive jeito de pedir que não me chamassem assim, e agora não tem mais jeito. Bléh!

  7. Nunca trabalhei :O 😡
    Mas na escola, por exemplo, até a sexta série, as pessoas não tinham noção de como eu era em casa 🙂
    Depois não, tô igual 😀

  8. A melhor coisa que vc pode fazer é ser “invisível’ no trabalho.
    Assim não dá motivo nem para falar bem, muito menos para falar mal.
    Nos meus trampos sempre fui assim quieta, na minha. Ah se algum amigo meu me visse trabalhando, ia pensar que eu surtei! hahaha

    A única vez que eu tentei ser “legal” me fodi. Foi no meu último estágio em uma rádio. Não sei pq cargas d’água a menina da recepção começou a dizer que eu era lésbica pq não contava os detalhes sordidos da minha vida para todo mundo ouvir, mas que sempre ouvia ela qdo ela queria… Vê se pode.
    Sai da rádio com um belo pé na bunda depois de uma promessa de registro. Mágoas de lá? Várias, principalmente pq eu gosto pra caralho de rádio. mas…

    Hoje sou freelancer, trabalho em casa e falo com meu chefe pelo msn ou telefone. Faço minhas doideiras sem me preocupar com ninguém.

    Fora de casa, no trabalho eu tenho uma imagem pra zelar. Acho que todo bom profissional se preocupa com isso!

    Kisses
    Bom final de semana

  9. Confesso que eu tambem mudo e muito mas só refleti sobre isso agora que você levantou a questão, mas sobre a Gláucia -é no trabalho é Gláucia- do trabalho posso dizer que ela é bem chata… rsrsrs

    • A por acaso, sim ter um filho é realmente maravilhoso, mas o fato é que vem tambem com uma responsabilidade que as vezes me desespera e mais ou menos assim:”Como ensina-lo a não cometer os mesmos erros que eu, sem poder viver pra ele?” Mas é mesmo lindo.

  10. Ei, Ana!
    Eu não sei se sou diferente no trabalho. Sei que minha timidez atrapalha bastante. Onde já se viu jornalista tímida? Só conheço eu mesma… com vergonha de fazer entrevistas… afff… Pelo menos, eu tento enfrentar isso no trabalho e fazer diferente. Nem sempre dá certo, mas vá lá…
    Bjo!

  11. Ah, sobre o Chico Buarque, também prefiro o compositor. Eu até gostei de Leite derramado, mas é meio mais ou menos. Eu ainda prefiro Chapeuzinho Amarelo (o melhor Chico que li na vida), a Ópera da Malandro e Estorvo.
    Bjo!

  12. Flor

    Novidades
    Estou fazendo terapia!
    E a psicologa conheci em um dos blogs que eu acompanho acredita?
    Hoje foi minha primeira sessao, adorei,foi demais.
    Temos mais uma coisa em comum rs.

    =)

  13. Eu acho que sou tão reservada no trabalho quanto sou diante dos meus familiares. Com amigos (dependendo dos amigos) eu fico mais soltinha. No geral eu sou mais porra louca quando estou diante de desconhecidos ou amigos muito amigos. Parentes e colegas de trabalho me inibem.
    URG. Pensando bem, isso é tópico pra eu fazer terapia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s