Nada é tão ruim quanto parece

Leitores assíduos (ou nem tanto) do meu blog devem estar percebendo uma das minhas grandes e piores características. Ainda mais depois do último post, sobre a minha mãe. Aliás, um milhão de agradecimentos a todos que comentaram no blog, me mandaram e-mail, me twittaram alguma coisa. Sério, gente. Terapia em grupo, é o que é esse blog🙂 ♥

Mas então. A tal característica: sou sempre vítima. Como assim? Não sou agente ativa da minha vida, sou agente passiva. Sempre tomando no cu, e não enfiando no cu dos outros, num português claro – e condizente com a minha vida. Pior do que isso: tenho uma certa necessidade – e mania-  de fazer os outros sentirem pena de mim. Daí a quantidade de desgraça que eu conto aqui.

Nenhuma dessas histórias é mentirosa. Todas me afetaram e ainda afetam. Não é e nunca será fácil ser eu.

Mas essa minha mania de despertar dó nos outros é a coisa mais deprimente que alguém pode fazer consigo mesmo. Não me orgulho. Por outro lado, PRECISO escrever e desabafar. E não vejo muito sentido em desabafar sobre coisas boas que acontecem.

No fundo, sei que consigo despertar outros sentimentos nas pessoas além da piedade. Vocês, por exemplo, caros leitores (a maioria, nem conheço pessoalmente): sei que vocês me lêem não só por pena, ou pela minha vida tragicômica, ou por curiosidade, mas porque simplesmente gostam de mim/do que escrevo.

Né não?

#DizQueMeAma

Mas sei lá… Eu só conto desgraça. São raros os posts em que falo de coisas boas. E, pode não parecer, mas não sou tão infeliz e miserável quanto pode parecer.

Na verdade, há um bom tempo, vivo na inércia. Alguns dias são legais, alguns dias são ruins e a maioria dos dias é simplesmente boring.

Mas já vivi MUITOS momentos bons, mesmo com mãe louca, mesmo com a auto-estima fudida, mesmo sempre sentindo falta de uma cara metade. Já viajei pra cacete, já conheci gente maravilhosa, já aprendi muito, já ri muito, já me entreguei de corpo e alma. Tenho MUITA coisa boa para lembrar.

Enfim. Esse post é só para saberem que nem tudo é tão ruim quanto parece. Consigo levar as coisas e sei ver a beleza da vida. Num pôr-do-sol, num bate papo gostoso com os amigos, num cachorrinho fazendo graça na rua.

11 comentários sobre “Nada é tão ruim quanto parece

  1. Eu leio pq gosto de vc.. mesmo sem te conhecer pessoalmente.

    Sabe que passo por umas coisa do tipo, gosto de contar no blog principalmente as coisas que me chateiam, pra colocar pra fora o q me incomoda.

    Me tiram de emo, q eu me preocupo muito, que eu não posso ser assim e taus.. Fazer o que.. não sei ser diferente!

    Beijosssss =D

  2. Acho super válida essa “terapia em grupo”.
    Mas oh, tenho tbm levo cada uma nesse lugar, que nem dá pra contar. hehe

    E, Ana, você não está sozinha. Temos mães-cu, trabalhos-cu, amigos-cu, vida-cu, vários deles. Mas às vezes eles piscam e dão sinal que existem e isso, às vezes, basta.

    Bjs

  3. Sim sim, eu gosto das coisas que vc escreve e do jeito que vc escreve. E, poxa, a maioria das pessoas que escrevem em blog sobre suas vidas geralmente não contam tanto do que acontece de bom, é normal, eu acho.
    E todo mundo tem seu dia ruim e coisas que não são tão legais que acontecem a nossa volta. Mas a vida é isso, o bom é desabafar.

    Beijos

  4. Oi, Ana!
    Vou fazer coro com todo mundo. Venho aqui te ler porque gosto do seu jeito de escrever. Mesmo nas histórias tristes, teu jeito de contar dão uma graça, um colorido a cada acontecimento. E, sim, eu queria muito escrever como você. Mas deixa isso pra lá.
    Bjo!

  5. Embora você conte coisas dramáticas aqui (muitas delas com as quais me identifico), nunca tive essa idéia de você! pra mim você é uma pessoa super animada, embora não esconda suas fraquezas.

    Não sei se é pelo fato de eu te “conhecer” pelos blogs e twitters da vida, ou se é pelo fato de me identificar com suas histórias mesmo, mas realmente não te vejo como uma “reclamona” e muito menos infeliz.

  6. Outro dia a Bel (@belmasc) comentou no blog dela que, já estava de saco cheio de ler blogs ‘cinzas’, que reclamavam da vida e de tudo o tempo todo, etc…mas vc é diferente.

    =D

    Não diga q eu sou má, mas é como vc mesma disse: sua vida é tragicômica. E vc conta de um jeito que, a gente sente que vc não pára de viver por causa dessas coisas ruins. Nem que seja ‘levando’ – mas vc continua. Agora, se vc mesma descobriu q gosta de despertar ‘pena’ nas pessoas, podia tentar parar, ou ao menos diminuir essa…ahn, necessidade? vc sabe q mtas das coisas q viveu foram sofridas, tristes, etc…mas nenhuma delas te fará ser mais ou menos amada.

    Basta ver por nós, q estamos sempre aqui lendo…até outro dia não sabíamos a maioria das histórias. Estamos descobrindo agora. E gostamos de vc da mesma forma.

    ^^

    [li todos seus coments lá no blog, aaaamo seus coments, Ana! (Ana e o maaaaar…) sabe como nasceu a vontade de estudar de novo? de saudade dos amigos de faculdade…mas eu não tinha idéia do que fazer, já que ainda não tenho cacife pra fazer a pós…mas olhando grade daqui, olhando dali, acabei optando. Tenta, quem sabe?😉 ]

    =*

  7. Ana… rsrsrs Quando li esse post fiquei imaginando ele deve ter recebido quilos de e-mails dizendo “Não fica assim, isso passa” E coisas assim, sabe cada vez que te leio me sinto mais proxima de vc, como acho que já disse fui filha de pai e mãe alcoolatra, mas nada foi so tempestade, uma vez tava conversando um uma amiga de blog pelo msn, na epoca em que meu pai estava doente, e comecei a deleixar uma serie de acontecimentos que lavaram ele até a doença até que por fim ela virou e disse “Querida como você ainda consegue sorrir” Achei aquilo estranho, pq de repente percebi que ela achou que minha vida eram só espeinhos ai ri e disse, calma tambem tenho muitas rosas… e vc tb tem eu sei disso. bjus

  8. Linda as fotos!🙂
    Maior astral🙂
    Que bom que vcê t’a feliz é isso a’i! Fico feliz tb em saber🙂
    Ah adorei seu vestido.

    Bjos

    Bom carnaval a’i!

  9. maria clara disse:

    Sabe Ana, entendo o que vc passa. Muitas vezes me deparo fazendo isso tb e muitas vezes me critico por isso. Piedade de si mesma, não tem nada de bom! Mesmo que a vida seja como a minha, me sinto fracassada, sem estimulos, a pessoa que eu era parece que foi embora de uns 7 anos pra cá. Tenho 26 e boa parte da era dos 20 eu chorei. Começava um ano e sempre achava que ia melhorar e no fim era pior do que o outro. Hj sou muito diferente de tudo que sonhei e acho q é isso q me decepciona.Sabe de uma coisa morro de medo de ser uma decepção pros meu pais e isso acaba comigo. A minha vida está a espera de um resultado, mas até agora, tem uma mês e nada. entrei na faculdade em 2003, faço eng. mecânica e agora talvez nem consiga me formar.Passei por diversos desafios, mas muitas vezes precisa-se de sorte, a qual não tenho tido. E muito triste se sentir assim, o choro está o tempo todo presente, pelo fracasso.
    Tomara que vc tenha muita sorte!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s