Comprar, comprar, comprar

Ó, taí uma coisa que eu não sou: consumista.

Ao contrário de 90% das mulheres, não passo meus dias sonhando com AQUELA bolsa, AQUELE sapato. Sou uma pessoa básica  – um vestidinho e uma havaianas bonitinha me fazem feliz – e, acima de tudo, meio mão de vaca. Na verdade, não vou deixar de sair para não gastar dinheiro, mas evito táxis (dinheiro mais desperdiçado do mundo) e nem encho a cara em balada em que a cerveja custa R$ 5 a lata. Sou mais boteco. O clima é mais agradável e a bebida é mais barata. 

Daí que sexta recebi meu salário. Sábado fui trocar uma calça, e resolvi ser consumista uma vez na vida. Comprei biquini, comprei lingeries, comprei blusinhas, comprei calça… Olha, se eu fosse rica, transformaria o ato de comprar em terapia. Realmente é bom. Acontece que meu salário não comporta esse tipo de luxo.

consumo